Tem que fazer networking com foco de atirador de elite, diz fundador da Olist

Tiago Dalvi, fundador da Olist, durante palestra no Day1, realizado pela Endeavor

Tiago Dalvi é fundador da Olist, sistema que integra lojistas a grandes marketplaces como AmazonSubmarino, e Mercado Livre, por exemplo. Durante o evento Day1, promovido pela Endeavor no fim de maio, ele contou alguns dos percalços que teve em mais de uma década como empreendedor até atingir o sucesso. Dalvi ensina, em sua conversa com o Negócios à parte, que um atributo essencial para quem está começando a própria empresa é ter foco:

Você mencionou durante a sua palestra que um erro na sua carreira de empreendedor foi sair “atirando para todo lado”. Outros empreendedores de sucesso, como o Uri Levine [fundador do Waze] chamam a atenção a esse ponto. Por que ter foco é difícil e tão necessário?

Quando se está construindo um negócio, acaba-se tendo contato com várias outras oportunidades. E todas sempre parecem extremamente atrativas. E com aquele ímpeto empreendedor, se quer abraçar o mundo, fazer o negócio acontecer.

No fim, você só tem uma força, um esforço, uma capacidade. Se tentar fazer tudo, dilui tudo isso. É muito difícil, acho, conseguir imprimir o ritmo que precisa para um negócio que tá começando, para ganhar a escala que ele precisa, se se está tentando fazer de tudo. Essa atração por outras coisas é o inimigo dessa força que precisa imprimir no começo de qualquer negócio.

O que seria uma solução para esse problema?

Acho que  é importante se cercar de pessoas que são melhores que você. Aquela galera que está de fora, que está olhando o que você está fazendo e perguntando: “por que você está fazendo isso? Por que aquilo faz sentido, e isso não faz?”. Eu sempre tentei construir [modelos] racionais por trás de tudo: em métrica, desempenho, dashboard. Também ler livro, estudar o que se está fazendo. Não ficar só na loucura.

Você disse que uma lição que teve, na sua trajetória, foi não se apaixonar por nenhum modelo de negócios. Como ter equilíbrio entre desapego e foco?

Não pode “escrever na pedra” o modelo de negócios. Se tem um, extraia o valor que conseguir dele, leve-o até o máximo. Chegou no limite, viu que não vai crescer mais, tá satisfeito com isso? Joia, não precisa ir além daquilo. Se não está, precisa evoluir? Muda. Tem muita empresa que quebra por ter escrito o modelo de negócios na pedra.

Deu para notar que networking foi bem importante para você. Se formos perguntar, todo mundo acha que é importante e diz estar buscando. Mas como fazer?

É importante se for feito com foco de atirador de elite, em quem precisa. Não é sair atirando para todo lado e, de repente, uma pessoa te salva. Acho que ao se entender que num evento como este tem 80% de empreendedores, por exemplo, que um Paulo Veras vai estar aqui, como outras pessoas, pode-se traçar uma estratégia em volta de networking.

Isso eu sempre tentei fazer, principalmente em rodadas de investimento. Lista quais são as empresas, as pessoas, os investidores, e vá atrás deles. Não descanse enquanto não falar com eles. Acho que os eventos são um catalisador, torna todo mundo acessível. Pode-se sair falando com todo mundo, ou ir nele e extrair o valor que você espera, da pessoa que você precisa.

Péssimo!RuimMais ou menos...BomÓtimo! Seja o(a) primeiro(a) a avaliar!
Loading...